Bem-vindo ao site da Associação Buckfast® Portugal, fundado a 17 de Abril de 2012

Stud-Book (genealogia apis)

Exported from Notepad++

REGULAMENTO DO LIVRO GENEALÓGICO DA ABELHA DE BUCKFAST ABBEY

Apicultores Buckfast - Grupo Português Stud-Book (genealogia apis)

I. Introdução:

O Livro Genealógico de Criadores Buckfast poderá também ser designado por Stud-Book de Buckfast. O Stud-Book dá continuidade aos trabalhos sobre a Buckfast, mantendo os registos desde seu início 1919, até à actualidade. O Stud-Book tem por fim assegurar a preservação e melhoramento da Buckfast, seguindo as regras de avaliação e reprodução contidas no método Buckfast (Comunidade Europeia de Apicultores Buckfast que não faz parte deste Regulamento). As disposições sobre os apontamentos de pedigrees e programa de reprodução contidas neste regulamento foram adaptadas por (PG).

II. Programa de melhoramento:

2.1. Objectivo de Reprodução (produzir descendência) a. Uma colónia bem-educada (gentil) de muito boa produção, relutância na enxameação, resistente a doenças e com boa capacidade de adaptação às condições ambientais. b. Garantindo uma apicultura economicamente sustentável. c. Particulares vínculos com o parentesco na conservação da diversidade genética da colónia. 2.2. Descrição da área de reprodução (estende-se a todo o país e áreas adjacentes) 2.3. Âmbito das Colónias Para reprodução, todas as colónias devem ser registadas no Stud-Book (Livro Genealógico) de Apicultores Buckfast-Grupo Português, colónias de reprodução (rainhas). 2.4. Método de reprodução 2.4.1. Na reprodução de abelhas Buckfast são utilizados quatro pilares (parte materna): a. Reprodutores de raça pura; b. Criação de linha; c. Cruzamento; d. Combinação de reprodução. Estas quatro formas de reprodução são mutuamente interdependentes. Os repro- dutores de raça pura são a base de todos os esforços de melhoramento; a criação de linhas é preservar a vitalidade de uma cultura pura; Cruzamento (híbridos) permite transmi- tir propriedades com a máxima heterose (vigor híbrido), formando a ligação para novas combinações de propriedades erbbeständigen: uma nova linha (combinação de reprodução). Estas são as formas, para reproduzir abelhas Buckfast. Somente o acasalamento espe- cífico (como inseminação, acasalamento dirigido e ilha é considerado "estação de acasalamento". Para alcançar a meta de reprodução, o irmão Adam nunca excluiu outras raças. 5. Seleção: A selecção baseia-se na avaliação das caracterís- ticas da colónia e nos resultados do teste de desempenho: 5.1. Comportamento: a. Suavidade (gentil) b. Relutância na enxameação c. Continuidade de mel no quadro de criação. 5.2. Resistência: a. Excelente Invernada b. Saúde Geral da colónia (animais com deficiência de saúde não são registados no Stud-Book (exclusão). 5.3. A produção de mel: Através do teste de desempenho, as cara- cterísticas económicas e fisiológicas das abelhas serão determinadas sem perturbar o desenvolvimento da colónia. O resultado apresenta-se na forma de seu desempenho. (Ver apêndice, avaliação do próprio trabalho). 6. Pré-requisito para a entrada no livro genealógico principal: O registo da Rainha no stud-book será decidido com base nos seguintes critérios. 6.1. Ascendência: A rainha deve incluir elementos de prova de que a colónia é de reprodução e que faz parte do Grupo(Apicultores Buckfast). 7. Stud-Book: 7.1. Os registos de reprodução são os seguintes: a. Reprodução de base com área da colónia mãe. b. Reprodução de abelhas do mesmo género, com a mãe e os pais na mesma área. c. Reprodução por inseminação instrumen- tal com a área da mãe e dos pais. d. Raças especiais... 8. Condições de registo no Stud-Book: Só as Rainhas e colónias de Zangões são inscritos. A pedido do Criador, o cordenador de reprodução decide com o criador o registo no respetivo Stud- Book. 8.1. Stud-Book, base da reprodução com filhas de rainhas registadas: a. As colónias cujas propriadades são acima da média dos antecessores. b. objectivos em alcançar carateristicas fisiológicas e propriedades especiais, por exemplo, Buckfast resistência à Varroa. 8.2. Stud-Book, acasalamento com abelhas do mesmo género: 8.2.1. Inseminação Instrumental: a. Filha de uma rainha registada que foi acasalada por colónias de zangões pai registados. b. Filha de uma rainha registada que foi inseminada com zangões de filhas de uma rainha registada. c. Filha de uma mãe que estava num grupo de teste de pelo menos 10 colónias seleccionada na segunda geração, após a avaliação de propriedades e inseminada com zangões de filhas de rainha registada. 8.3. Stud-Book, referente a estação de acasalamento dirigido: a. Filha de uma mãe de reprodução, registada, que é acasalada por zangões de colónia (pai) registado em uma estação de acasalamento dirigido. b. Filha de uma mãe que estava em um grupo de teste de, pelo menos, 10 colónias seleccionadas na segunda geração após a avaliação de propri- edades e acasalada numa estação de acasalamento dirigido. 8.4. Stud-Book, estações de acasalamento em ilha. a. Filha de uma mãe de reprodução, registada, que é acasalada por zangões de colónia (pai) registado em uma estação ilha. b. Filha de uma mãe que estava num grupo de teste de, pelo menos, 10 colónias seleccionada na segunda geração, após a avaliação de propriedades e acasalada numa estação ilha. 8.5. Raças especiais: A aceitação é feita pela comissão de reprodução da respectiva direcção de reprodução, nos termos do Estatuto de Apicultores Buckfast - Grupo Português, juntamente com o criador e o coordenador de reprodução. 8.6. Colónias Pai: Zangões de rainhas mãe registadas, cuja valorização de propriedades em todas as características individuais alcancem pelo menos 70% da média conseguida.

III. Stud-Book:

Os registos de reprodução cooperativos são conservados pelo coordenador de reprodução. O livro genealógico do respectivo departamento de reprodução é elaborado pelo coordenador de reprodução, bem como pelo criador. Os criadores de reprodução são os principais responsáveis na exactidão dos registos genealógicos. A transmissão de dados para o coordenador de reprodução deve ter em conta a autenticidade e a sua conformidade e submissão ao coordenador para agregar ao Stud-Book principal. O criador é responsável pela exactidão das informações apontadas nas notas e tabelas, bem como por outros certificados que ele deve preencher. Ele tem que ter todos os documentos de reprodução que lhe serão enviados pelo Grupo para a exactidão das informações.

IV. Proteção de identidade (identificação):

4.1. A rotulagem da Rainha realizada por combinação de letras /número (por exemplo: B261(PG)=.13 – B100(PG) vrtl B3(GH). A combinação a engendrar: a. identificação rainha (Habitáculo) b. letras do criador c. ano de nascimento d. mãe e. local da acasalamento f. pai 4.2. Às rainhas inseminadas esponta-se-lhe uma asa na inseminação, indicando a lateral espontada. Às rainhas de acasalamento em ilha, uma vez que elas saem da ilha, esponta-se-lhe uma asa, indicando a lateral espontada. Às rainhas de acasalamento dirigido, uma vez que elas saem da estação, o corte de asa fica ao critério do adquirente. 4.3. O criador está obrigado a permitir ao coordena- dor de reprodução, comissão da raça ou direcção do Grupo para uma revisão do seu pedigree e das colónias, cuja rainhas estão inscritas.

V. Metodologia de reprodução:

A fim de obter a mais ampla possibilidade de colónias de reprodução, aplicam-se as seguintes recomendações... a. Cada rainha dos grupos existentes é registada depois do criador ter reproduzido rainhas filhas para a próxima geração. As colónias das filhas da rainha podem ser usadas como colónias de zangões. b. Com a nova aquisição de uma rainha registada noutro Stud-Book (livro genealógico), terão que ser submetidas pelo menos, 10 rainhas filhas a um teste preliminar. Se as colónias elaboradas correspondem ao padrão exigido, a rainha recém adquirida pode ser inscrita no respectivo espaço reservado para a raça no Stud-Book, só então a descendência será emitida. c. Deveriam ser utilizadas, pelo menos, 20 clónias Pai.

VI. Introdução de material de reprodução:

Os sócios criadores do Grupo são obrigados a prever uma compensação razoável de material de reprodução e rainhas para os membros do Grupo. Recomenda-se também para ceder aos não-membros rainhas registadas ou descendentes. Avaliação das propriedades 6.1. Comportamento: Todas as colónias que foram concluídas a partir das rainhas reprodutoras devem ser avaliadas três vezes durante a temporada, alternando a ordem de revisão. Para as avaliações: a. Gentileza 4 = maneio sem qualquer meios de defesa. 3 = necessidade de usar um mínimo de água. 2 = necessidade de usar um mínimo de fumo. 1 = É necessário uma grande quantidade de fumo e roupas de protecção. b. Enxameação 4 = Não foram detectados alvéolos reais na colónia. 3 = foram detectados inícios de alvéolos reais individuais. 2 = foi mesmo necessário partir alvéolos reais. 1 = foram necessárias mais medidas adicionais. c. Quadro de mel 4 = As abelhas estão apertadas, como pêlo sobre o quadro. 3 = As abelhas não deixam a criação. 2 = As abelhas juntam-se na borda do quadro a comer mel. 1 = As abelhas abandonam o quadro (favo) de mel. 6.2. Colheita de mel A quantitativa revisão por colónia para identificar com detalhes os kg de mel, para comparar com a respectiva média nacional, a colheita do mel é determinada como um número relativo. 6.3. Saúde geral: a. Por temporada, na colónia, devem ser feitas pesquisas de infestações de varroa e outros. b. Informações sobre acção no comportamento e limpeza. c. Informações sobre os defeitos específicos de saúde, se as outras propriedades são bem acima da média. Os procedimentos de teste de avaliação serão revistos anualmente pela comissão de reprodução com o criador, para uma revisão que serve para definir novos detalhes de avaliação. Em consulta com o coordenador de reprodução e criador podem em conjunto, incorporar no livro de avaliação características de selecção que sejam favoráveis para a saúde da colónia. Actualmente,a reprodução com resistência à Varroa deve ser considerado uma prioridade. Varroa sensíveis higiene (VSH). 6.4. Força / resistência: 4 = nenhuma Consideração a ter, (colónia hiberna bem e sem perdas significativas de abelhas). 3 = colónia perdeu até 20% das abelhas. 2 = colónia fraca (não vai ser capaz de resistir). 1 = a colónia não está preparada para o inverno (problema que tem de ser resolvido). 6.5. Gráfico A avaliação das propriedades é represetada num gráfico.

Erbbeständigen Significa que, se acasalar Buckfast com Buckfast, vai ter uma abelha Buckfast. e não irá dividir as linhas anteriores / originais.

Este Stud-Book Apicultores Buckfast está vinculado a pedigreeapis.org. Pedigrees de Abelhas Rainhas "Buckfasters" e outros criadores europeus que utilizam princípios de criação de irmão Adam. 

Com a gentileza de Landesverbandes der Buckfastimker Weser-Ems e.V. Este texto foi copiado e adaptado a minha experiência com estas abelhas. 

(Paulo Gonçalves)

Sem comentários:

Enviar um comentário